Multirão de castração em cães e gatos

12 abr

O CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) de Americana realiza castração de cães e gatos desde a última sexta-feira. Até agora cerca de 680 animais foram cadastrados pelos proprietários. Mas as inscrições ainda podem ser feitas pelos interessados. A previsão é de atender mil animais. O objetivo é fazer o controle populacional dos bichos de estimação.

O coordenador do CCZ, Fernando Vicente Ferreira, disse que está dando continuidade ao programa de bem-estar dos animais com o mutirão da castração. São realizadas cirurgias em gatos macho e fêmea e na cadela e castração química nos cães machos.

No cachorro macho é realizada a castração química, com aplicação de uma injeção de gluconato de zinco nos testículos. Segundo o coordenador, o animal não sente dor, não há necessidade de pós operatório e o sistema é muito limpo. E a cirurgia realizada pela equipe de veterinários é menos evasiva e em sete dias o local da cirurgia está cicatrizado.

No primeiro dia de atendimento no CCZ foram realizadas 110 castrações, além de implantação de microchips e aplicação do infertis.  No sábado foram realizadas castrações de mais 120 animais no Bairro Cidade Jardim, além da implantação de mais 150 microchips e 25 castrações químicas, além de atendimento a animais de rua.

Ontem o ônibus itinerante ficou estacionado na Praça Comendador Müller, no Centro, com previsão de atendimento de 180 animais. Até 10h foram realizadas 65 castrações de gatos. Seriam implantados 100 microchips. Hoje o mutirão foi realizado no Supermercado São Vicente, no São Vito.

Os interessados em castrar ou microchipar os animais devem ligar para os telefones (19)  3467.1868, 3467.2344 ou 3467.1187, para fazer o cadastro. O proprietário tem de ser maior de 18 anos, residir em Americana e apresentar RG, CPF e comprovante de residência. O animal deve ficar preso e sem ingerir água e nem comida 12 horas antes do procedimento.

A orientação de Fernando é para as pessoas irem sem pressa e dedicar o dia aos cuidados com o animal de estimação, porque são muitos a ser atendidos e pode demorar um pouco. A ordem de chegada é respeitada, garantiu.

Nas clínicas veterinárias a castração pode custar R$ 120 em gato macho até R$ 350 numa cadela pitbull fêmea com 30 Kg, comparou o coordenador. “É um serviço extremamente necessário porque evita esse monte de animal que tem na rua”, disse Fernando.

CONFIRA AS DATAS E OS LOCAIS DO MUTIRÃO:

05/04: Praça Benedito Ribeiro Pires (Rua João Berneistein – São Vito). Ao lado do supermercado São Vicente.

15/04: Ginásio de Esportes do Jardim da Paz (Rua do Afeto)

16/04: Bosque das Nascentes (Av. José Veríssimo – Antônio Zanaga)

18/04: Igreja do Bairro Jardim Mirandola (Rua Ravena esquina com a Rua Bergamo)

19/04: Cruzamento da Rua José Batista da Silva Filho com a 1º de Março – Asta 3 / Jardim Novo Paraíso

Cães podem se beneficiar de novo método

23 mar

Uma reportagem do jornal Correio de Uberlândia, de Minas Gerais, apresenta as vantagens da castração química, uma nova tecnologia que está sendo utilizada por diversas prefeituras brasileiras. Entre os benefícios estão a simplicidade do procedimento, o preço e a segurança.

Para ler a reportagem clique aqui.

Conselho de Medicina Veterinária normatiza campanhas de castração

22 fev

O Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) emitiu uma nova Resolução que normatiza os procedimentos de contracepção de cães e gatos em programas de educação e saúde, guarda responsável e esterilização cirúrgica com a finalidade de controle populacional. A Resolução CFMV no. 962 de 27 de agosto de 2010 foi publicada em setembro, no Diário Oficial da União.

A Resolução objetiva “normatizar os procedimentos de contracepção, considerando que os programas com finalidade de controle populacional devem fazer parte de uma política de saúde pública e bem-estar dos animais e das pessoas”, explicou o Presidente do CFMV, Benedito Fortes de Arruda. Ele lembra que a saúde animal é um dos pilares que reflete diretamente na saúde ambiental, saúde pública e no próprio Sistema Único de Saúde. De acordo com a Resolução, “Os programas deverão ter por base a educação em saúde e guarda responsável, e não apenas o fluxo das esterilizações”.

Além disso, com a normatização espera-se que sejá possível o mapeamento, gerenciamento de dados populacionais e de saúde sobre a população canina e felina no âmbito municipal, estadual e federal, já que é obrigatório que os programas tenham um Médico Veterinário como Responsável Técnico, com devida Anotação de Responsabilidade Técnica homologada nos Conselhos Regionais de Medicina Veterinária. O profissional deverá encaminhar um relatório com informações mínimas sobre cada programa realizado aos Conselhos Regionais.

A Resolução também diz que “a perfeita realização de procedimentos pré, trans e pós-operatórios devem ser prioridade dos programas, nunca colocando em risco a vida e o bem-estar animal e tendo importância secundária o número de intervenções por fase do procedimento”. Em seu texto, também estão descritas as recomendações para as instalações e os ítens mínimos que devem estar contemplados em cada projeto.

O objetivo desta Resolução do CFMV é abranger exclusivamente os procedimentos de esterilização de cães e gatos com a finalidade de educação em saúde, guarda responsável e controle populacional, como demanda de programas oficiais envolvendo instituições públicas. Entende-se por estes programas, o método de trabalho caracterizado pela mobilização coletiva e programada, que envolve a realização de procedimentos de esterilização em cães e gatos (machos ou fêmeas), em local e espaço de tempo pré-determinados, sempre precedidos ou associados a ações concomitantes de educação em saúde e guarda responsável.

O site Controle Populacional aplaude e apoia a iniciativa do CFMV. Campanhas de castração cirúrgica são salutares, porém, o bem estar dos animais é fundamental. Sabemos que muitas campanhas de castração em massa não seguem padrões mínimos de segurança e higiene e por isso a regulamentação chegou em boa hora.

A importância do controle populacional

10 fev

Não é novidade para a população em geral o aumento indiscriminado de cães e gatos nas cidades. A causa dessa problemática está ligada à irresponsabilidade da própria população: há muito tempo domesticamos esses animais para “nos servir” e com isso nos tornamos responsáveis pela sua sobrevivência, alimentação, cuidados médicos e bem-estar.

Infelizmente, nem todos têm essa consciência e mantêm os animais sob sua guarda à revelia de sua “sorte”. Uma das consequências, que considero de gravidade alta, é a reprodução descontrolada desses animais, pois aumenta sobremaneira o número de animais abandonados.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, os animais domiciliados e semidomiciliados são os que mais contribuem com o aumento da população de cães e gatos errantes nas cidades. Interessante essa afirmação, pois é justamente onde tem os humanos envolvidos que o desequilíbrio acontece. Como um País competente que somos na promulgação de leis, deixamos a desejar na sua aplicação. Existem leis, regulamentos, instruções normativas para todas as questões possíveis, mas ainda não estamos preparados para aplicá-las e, assim, ter os objetivos ali propostos alcançados na íntegra.

Um exemplo, é a Lei Estadual 13.193/2009 que dispõe sobre o controle da reprodução de cães e gatos de rua no Estado do Rio Grande do Sul e sobre outras providências. Tal lei é bem abrangente e trata o assunto da superpopulação de forma responsável, proibindo a eutanásia (método execrável utilizado até então como forma de controle populacional), instituindo o cão comunitário, estabelecendo campanhas educacionais à população, além da identificação, adoção e esterilização dos animais. Um grande salto em termos de legislação, mas na prática não é o que acompanhamos.

Com relação ao município do Rio Grande, tenho conhecimento que a Prefeitura e a Promotoria Pública assinaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), o primeiro ainda em 2009, para cumprimento dessa legislação, com o objetivo de esterilizar oitenta cadelas por mês, durante seis meses. Outro Termo foi assinado em 2010, em renovação, mas ainda não está sendo aplicado pelo município porque “esbarrou” em outra Normatização: a Resolução nº 14 de setembro de 2010, do Conselho Regional de Medicina Veterinária do RS, que institui procedimentos de contracepção de cães e gatos em Programas de Esterilização Cirúrgica com a Finalidade de Controle Populacional. Tal resolução tem o mesmo teor da Lei Estadual citada, com o texto técnico para os profissionais de Medicina Veterinária.

Tudo bem até aí, com um “pequeno grande detalhe”: o prazo para aprovação do projeto é de sessenta dias. No dia 14/10/2010, no link “notícias” no site da Prefeitura Municipal do Rio Grande, saiu a matéria que o projeto estava protocolado junto ao Conselho Regional de Medicina Veterinária RS (CRMV-RS). Acompanho o blog do Canil Municipal e, mesmo diante do anseio da população para a esterilização dos seus animais, a resposta é sempre a mesma: “no aguardo da liberação do Conselho”.

Sem considerar as falhas do programa atual, como esterilização apenas de fêmeas, só de caninos, por bairros, pois dessa forma não há objetivo a perseguir relacionado ao controle populacional de cães e gatos no Município, o que me deixa mais decepcionada é a inércia da administração pública e da população com relação a esse prazo extenso de aprovação. Enquanto isso, o CRMV-RS toma para si, sem responsabilidade alguma, o destino de inúmeros animais que nasceram e nascerão nesse período.

Como cidadãos, temos o dever de nos posicionar contra essa burocracia que atenta contra a vida. Existem as leis, cujo objetivo maior é proteger, mas não conseguimos cumpri-las. E, se continuarmos na escuridão ou “à espera de um milagre”, elas só passarão de letras impressas em algum acervo qualquer.

Para inspirar a administração municipal e a todos nós: “De todas as medidas de salvaguarda animal, porém, nenhuma é mais promissora do que a educação. Os pais e professores podem influenciar decisivamente na formação do caráter de uma criança, ensinando-lhes os valores supremos da vida, em que se inclui o respeito pelos animais. Não há outro jeito de mudar nossa caótica realidade social senão por um processo de aprendizado de valores e princípios verdadeiramente compassivos. E pensar que no Brasil está em vigor a Lei n. 9.975/99, que trata justamente da Política Nacional de Educação Ambiental” (Laerte Fernando Levai, Promotor de Justiça em São José dos Campos – SP).

Por Milene Baldez. Do blog Vira Latas e Corações (http://viralatasecoracoes.blogspot.com/)

 

Pesquisa revela insatisfação com a forma com que os animais são tratados

9 fev

Os animais de estimação são unanimidade em São Paulo. De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo, em parceria com o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), a cidade concentra 3 milhões de cães e gatos domiciliados, uma população de animais três vezes maior que a do município de Campinas, por exemplo. Isso, é claro, sem considerar os animais que vivem em estado de abandono, nas ruas. Um problema enfrentado pela maioria das cidades brasileiras.

O que não é unanimidade é a opinião sobre a forma com que os animais são tratados em São Paulo. Uma pesquisa realizada pelo Ibope em parceria com a Rede Nossa São Paulo, trouxe à tona os Indicadores de Referência de Bem-Estar do Município (IRBEM) de 2010. Entre os aspectos pesquisados, estavam alguns relacionados aos animais de estimação.

De acordo com o estudo, que entrevistou 1.512 pessoas entre os meses de novembro e dezembro do ano passado, 63% dos paulistanos estão “muito insatisfeitos” com a forma com que os animais são tratados, enquanto apenas 10%  demonstraram contentamento com as políticas e campanhas para evitar o abandono de cães e gatos no município.

Regiões

Os moradores da zona norte de São Paulo foram os que mais atribuiram notas baixas quando questionados sobre a forma com que os animais são tratados (70%), seguidos pelos da zona sul (65%).

Freguesia do Ó, Brasilândia e Perus foram os bairros que deram menores notas para as políticas e campanhas para evitar o abandono de cães e gatos. Em contrapartida, 22% dos moradores de Ermelindo Matarazzo e Itaquera se mostraram “totalmente satisfeitos” com as iniciativas desse gênero.

Quando o assunto é respeito aos animais, Santana e Tucuruvi teve a maior porcentagem de insatisfação (69%), seguido  por Jaçanã, Tremembé, Vila Maria e Vila Guilherme (63%).

Acesse o site da Rede Nossa São Paulo para ver a pesquisa completa.

Ong esteriliza cães de presídio

7 fev

Até mesmo os cães e gatos que moram nos presídios brasileiros precisam ser esterilizados. A Ong Célula Mãe, da Bahia, realizou o controle da reprodução de cães e gatos do Complexo Penitenciário da Mata Escura, a pedido da administração do presídio feminino.

Após a cirurgia, os animais ficaram em observação no canil da Célula Mãe por oito dias e foram vermifugados, sendo depois devolvidos para o seu ambiente de origem. A entidade esterilizou 20 animais nessa ação

“O objetivo dessa coleta foi fazer uma avaliação do estado de saúde e o controle reprodutivo dos animais que habitam no complexo, que são queridos e mantidos pelos funcionários e internos”, explicou Janaína Rios, da comissão administrativa da Célula Mãe.

Dicas para os donos de animais de estimação

28 jan

Você sabe quais são os cuidados que devem ser tomados ao selecionar um pet shop para o pet? E na hora de comprar um mimo ou um petisco? O Procon de Santo André,  na Grande São Paulo, dá dicas de como os donos devem se precaver para evitar surpresas desagradáveis.

Alimentos

São tantas as opções de rações e petiscos nas pratileiras, que alguns donos podem ficar indecisos na hora da compra. Antes de escolher uma variedade nova ou oferecer ao mascote outro sabor,  você costuma verificar as informações do verso da embalagem?

Segundo o Procon de Santo André, o correto é checar a origem do alimento, fabricante e se o produto possui conservantes químicos na composição. Deve-se verificar, ainda, as recomendações de uso e a data de validade.

Brinquedos

“São os mesmos cuidados tomados na compra de brinquedos para crianças”, explica a diretora do órgão, Ana Paula Satcheki.  É necessário avaliar a qualidade dos produtos, como bolinhas, pelúcias, mordedores  e cordas, e mensurar os riscos  que eles oferecem para os animais.  Peças pequenas, por exemplo, podem ser engolidas e causar acidentes, ou memso, mortes.

Medicamentos e produtos de higiene

Os donos devem ter atenção ao comprar produtos higiênicos e medicamentos para os bichinhos. Segundo a Ana Paula, os produtos precisam ser certificados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).  Os proprietários devem consultar, também, se os produtos de higiene e remédios possuem algum tipo de contraindicação. Em caso de danos ao animal de estimação, o Procon alerta que  é possível entrar com uma ação indenizadora na Justiça contra o fabricante.

Banho e tosa

Além de observar as condições sanitárias e de higiene do pet shop, é importante explicar detalhadamente o que deverá ser feito com o animal no serviço de tosa, para evitar qualquer mal-entendido e dores de cabeça. Em casos de ferimentos durante os procedimentos, a responsabilidade será do pet shop.

 

Abaixo assinado por controle populacional ético

24 jan

ONGs de defesa animal de Aracaju (SE) estão fazendo um abaixo assubinado para pedir o controle populacional ético de animais domésticos. Leia o manifesto:

Diariamente nos deparamos com dezenas de animais pelas ruas de Aracaju, além de trazer ameaças a saúde pública, os mesmos ficam sujeitos a todos os tipos de crueldades.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) afirma que a captura e extermínio de animais é um método caro, cruel e ineficaz de controle populacional, uma vez que a taxa de crescimento da população canina e felina sobrepõe a capacidade de eliminação. Dados da American Humane Society alertam que uma gata não castrada pode ser responsável por 420 mil filhotes durante seu período de procriação (7 anos). Da mesma forma, uma cadela gerará 67 mil descendentes em seis anos. A OMS orienta a esterilização em massa de cães e gatos e trabalhos educativos sobre posse responsável como forma de garantir a saúde pública e o bem-estar animal.

Maltratar animais é crime (Lei 9.605/98) e queremos que as crianças brasileiras cresçam respeitando todas as criaturas vivas, pois essa é a primeira lição para respeitar ao próximo. Queremos um Brasil ético e justo para humanos e animais.

Em Aracaju, segundo dados do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) 428 cães foram diagnosticados com Leishmaniose visceral e 258 sacrificados só no ano de 2007. Em humanos foram constatados 12 casos no ano de 2004, 14 casos em 2005, 21 casos em 2006 e 24 casos em 2007, o que mostra claramente que a doença está crescendo a cada ano e que o método de controle utilizado é ineficaz, colocando em risco vidas humanas e animais.

E é a legitimidade democrática que nos confere representatividade, para apresentar a todos os brasileiros e a cidadãos de outros países, que expomos o nosso grito de repúdio, de compaixão e espanto contra atos que desmerecem a razão, rebaixam o espírito e denigrem a espécie humana. Para isso solicitamos urgentemente:

1- Políticas públicas de esterilização de animais domésticos, como forma de controle populacional, através de convênios com clínicas veterinárias, ONGs, associações e hospital veterinário;

2- Trabalhos educativos (posse responsável e educação para saúde) constantes em escolas e bairros da nossa cidade;

3- Ações efetivas contra a Leishmaniose “Calazar”, combatendo o mosquito vetor da doença conforme o Manual da Vigilância e Controle da LV (Leishmaniose visceral), que orienta trabalhos educativos, controle químico, saneamento básico e identificação do foco (vetor).

Coleira GPS promete manter pets monitorados

17 jan

Se você já sofreu com a perda de algum animal de estimação sabe muito bem a dor da situação. E para tentar prevenir problemas semelhantes e as noites não dormidas a Garmin GTU acaba de desenvolver um acessório que deve ser acoplado à coleira que promete mais segurança para os totós e bichanos fujões.

De acordo com o jornal britânico Metro o gadget tem tecnologia de localização GPS, é à prova d’água, além de conter uma bateria recarregável e pesar apenas 48 g. Uma vez ativado o dono poderá monitorar seu bichinho por um mapa online.

Mas esta maravilha tecnológica não custa nada barato. Ela está disponível apenas no Reino Unido, e custa 179,99 libras, ou cerca de 480 reais. O acessório vem ainda com um aplicativo compativel para iPhone e Android, que permite a localização do animal até mesmo em smartphones.

É possível ainda programar os trajetos que o animal costuma fazer ou os caminhos que ele deve evitar, assim, caso o cachorro ou gato esteja em perigo o dono receberá uma mensagem de texto ou e-mail em seu celular imediatamente.

Adote um bichinho

14 jan

Confira as feiras de adoção que acontecem em São Paulo neste final de semana:

São Paulo

Feira de Adoção em Moema

No próximo sábado, 15 de janeiro, acontece a primeira feira de adoção deste ano com os cães abandonados do Clube dos Vira-Latas. O evento será das 10h às 17h, na loja Differenza Revestimentos, em Moema. Para adotar um bichinho é preciso apresentar um documento com foto além de ser maior de 21 anos. E para os que não puderem levar para casa um pet, a entidade organizadora aceita doações de ração, medicamentos, camas, casinhas, cobertores ou ainda uma quantia em dinheiro.

Serviço

Feira de Adoção em Moema
Quando: sábado, 15 de janeiro, das 10h às 17h
Local: Avenida dos Carinas, 380, Moema

Feira de Adoção em Santana

No próximo sábado e domingo, 15 e 16 de janeiro, acontece mais uma feira de adoção com cães e gatos abandonados da Associação Natureza em Forma. O evento será das 12h às 20h, na loja de adoção no Santana Parque Shopping. Para adotar um bichinho é preciso apresentar RG, CPF, comprovante de residência, além de ser maior de 21 anos e pagar uma taxa de 60 reais. E para os que não puderem levar para casa um bichinho, a entidade organizadora aceita doações de ração, medicamentos, camas, casinhas, cobertores ou ainda uma quantia em dinheiro.

Serviço

Feira de Adoção em Santana
Quando: sábado e domingo, 15 e 16 de janeiro, das 12h às 20h
Local: Av. Professor Fonseca Rodrigues, 2.001

Feira de Adoção na Mooca

Neste sábado, 15 de janeiro, o Projeto SOS Felinos realizará mais uma feira de adoção com cães e gatos abandonados. O evento acontece das 11h às 18h, no Cãopanhia Pet Shop, no Parque da Mooca. Para adotar um bichinho é preciso apresentar RG e CPF (originais), comprovante de residência, além de ser maior de 21 anos e passar por uma entrevista com uma protetora. Lembrando que para os que não puderem levar para casa um animal, a entidade aceita doações de ração, medicamentos, camas, casinhas, ração, cobertores ou ainda uma quantia em dinheiro.

Serviço

Feira de Adoção na Mooca
Quando: sábado, 15 de janeiro das 11h às 18h
Local: Cãopanhia Pet Shop, na Rua Conde Prates, 84, em frente ao Supermercado Yamauchi

Feira de Adoção na Consolação

No próximo sábado, 15 de janeiro, acontece mais uma feira de adoção com os gatos abandonados da Toca dos Gatinhos. O evento será das 14h30 às 18h, no consultório veterinário São Miguel. Para adotar um bichinho é preciso apresentar RG, CPF, comprovante de residência, além de ser maior de 18 anos. Lembrando que a feira acontece todos os sábados, exceto feriados. E para os que não puderem levar para casa um bichinho, a entidade organizadora aceita doações de ração, medicamentos, camas, casinhas, cobertores ou ainda uma quantia em dinheiro.

Serviço

Feira de Adoção na Consolação
Quando: sábado, 15 de janeiro, das 14h30 às 18h
Local: Rua São Miguel, 14. Esquina com a Frei Caneca, 821

Feira de Adoção em Pinheiros

No próximo sábado, 15 de janeiro, acontece mais uma feira de adoção com cães e gatos abandonados da União SRD. O evento será das 11h às 17h, no supermercado Pão de Açúcar da Teodoro Sampaio. Para adotar um bichinho é preciso apresentar cópias do RG, CPF e comprovante de residência, além de ser maior de 21 anos e pagar uma taxa de 25 reais para pets adultos ou 50 para filhotes. E para os que não puderem levar para casa um bichinho, a entidade organizadora aceita doações de ração, medicamentos, camas, casinhas, cobertores ou ainda uma quantia em dinheiro.

Serviço

Feira de Adoção em Pinheiros
Quando: sábado, 15 de janeiro, das 11h às 17h
Local: Supermercado Pão de Açúcar. Rua Teodoro Sampaio 1933. Travessa da Fradique Coutinho

Feira de Adoção em Santo Amaro

No próximo sábado e domingo, 15 e 16 de janeiro, acontece mais uma feira de adoção com cães e gatos abandonados da Associação Paulista de Auxílio aos Animais (APAA). O evento será das 13h às 18h, no Pet Center Marginal da Washington Luís. Para adotar um bichinho é preciso apresentar RG, CPF, comprovante de residência, além de ser maior de 21 anos e pagar uma taxa de 50 reais. E para os que não puderem levar para casa um bichinho, a entidade organizadora aceita doações de ração, medicamentos, camas, casinhas, cobertores ou ainda uma quantia em dinheiro.

Serviço

Feira de Adoção em Santo Amaro
Quando: sábado e domingo, 15 e 16 de janeiro, das 13h às 18h
Local: Pet Center marginal. Av. Washington Luiz, 2737

Feira de Adoção no Tucuruvi

No próximo sábado, 15 de janeiro, acontece mais uma feira de adoção Adote um Bichinho Carente. O evento será das 10h às 17h, no pet shop Bichos Cão. Para adotar um bichinho é preciso apresentar RG, CPF, comprovante de residência, além de ser maior de 18 anos e doar três quilos de ração. E para os que não puderem levar para casa um pet, a entidade organizadora aceita doações de ração, medicamentos, camas, casinhas, cobertores ou ainda uma quantia em dinheiro.

Serviço

Feira de Adoção no Tucuruvi
Quando: sábado, 15 de janeiro, das 10h às 17h
Local: Pet Shop Bichos Cão. Av Tucuruvi, 248. Loja dentro do Carrefour

 

//
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.